Nesta segunda, Sabrina Garcêz promove audiência pública sobre Plano Diretor na região noroeste

Foto: Francisco Carvalho

O projeto do novo Plano Diretor de Goiânia (PD) prevê a criação de zonas de desenvolvimento econômicos na capital que estão diretamente ligadas às potencialidades das áreas. Entretanto, pelo projeto, a previsão é de que esses Polos de Desenvolvimento sejam estabelecidos em apenas 5 locais da cidade. Nenhum na região Noroeste. Esse é um dos temas que a vereadora Sabrina Garcêz (sem partido) espera discutir nesta segunda-feira (23), às 19 horas, em audiência pública sobre o PD, que acontece na Escola Sesi Jardim Colorado.

“Mais uma vez essa região é deixada de lado pelo poder público”, argumenta Sabrina. A parlamentar observa que não é possível que o desenvolvimento de Goiânia se dê de maneira organizada e harmônica quando há, pelo projeto de Plano, novamente a valorização das mesmas regiões centrais da capital.

“Precisamos entender que o plano não é apenas um ordenamento do município, é também, e principalmente, o nosso modelo de cidade. Ele que determina o tipo de cidade nós queremos construir quanto a: meio ambiente, modelo econômico, habitação, políticas públicas, acessibilidade e todos os pormenores da vida cotidiana. O plano não é uma simples orientação”, explica.

Nesse sentido, a não previsão desses polos para a região Noroeste, mais uma vez marca a enorme diferença de gestão da cidade. “O que eu observo é que durante anos as administrações municipais olharam para essa região apenas como lugar de morada para os trabalhadores das zonas médias de Goiânia. Pouco se investiu e isso é percebido sem muito esforço. É a região que mais sofre com a oferta de serviços públicos, ao mesmo tempo em que é a maior demandante”, observa.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) diz que a discussão do novo PD é o momento oportuno para rever essa assimetria. “Por isso eu fiz questão de propor que uma das audiências públicas da CCJ ocorresse lá. Nós estamos falando de milhares de famílias que precisam que haja desenvolvimento e melhorias nessa área”, pontua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui