Aparecida alerta população sobre despejo de água em vias públicas

Em 2020 a Secretaria de Planejamento e Regulação Urbana de Aparecida notificou quase 300 casos de derramamento inadequado nas ruas

Muitos moradores e comerciantes descartam água utilizada na lavagem de roupas, louças, quintais e piso no logradouro público. Essa água, denominada de água servida ou esgoto, depois da utilização humana, tem suas propriedades alteradas por produtos químicos e causa danos graves à saúde, pavimentação asfáltica, mau cheiro e poluição ao meio ambiente.

De acordo com o artigo 10 da Lei nº 792 do Código de Posturas de Aparecida de Goiânia, é proibido despejar sobre os logradouros públicos as águas de lavagem ou quaisquer outras águas servidas das residências ou dos estabelecimentos em geral. O documento orienta como deve ser o descarte do líquido depois de utilizado. “Não existindo na rua a rede de esgoto, águas de lavagem ou quaisquer outras águas servidas deverão ser canalizadas pelo proprietário ou inquilino, para a fossa acaso existente no imóvel”.

Segundo dados da Secretaria de Planejamento e Regulação Urbana de Aparecida, durante o ano de 2020, cerca de 300 casos de derramamento inadequado de água servida foram notificados. A multa para quem comete a infração é de R$581,13 e o dobro para reincidentes.

Além dos fiscais de postura, a Regulação Urbana conta com o apoio das Secretarias de Infraestrutura e de Desenvolvimento Urbano, que também enviam denúncias do lançamento proibido da água nas vias. Mas, esse trabalho de fiscalização pode ser feito por todos os aparecidenses. As denúncias (anônimas) são recebidas no telefone 3238-7210 ou pelo WhatsApp: 98471-8040.

O secretário de Planejamento e Regulação Urbana, Veter Martins, afirma que, se não houver uma conscientização por parte da população, de nada adianta o trabalho dos fiscais. “Nossas equipes têm trabalhado arduamente para tentar combater, têm multado sempre que a infração é flagrante, mas também têm orientado e notificado, mas contamos com a colaboração da sociedade”, ressaltou.

Perigos da água servida

A água servida além de empoçar as vias, podem atrair pequenos insetos e doenças diversas, quando ocorre com frequência, além de prejudicar a estética local. Os produtos de limpeza, em sua maioria, são corrosivos e com a exposição dos mesmos ao sol podem tornar-se ainda mais prejudiciais à saúde e ao meio ambiente, pois os seus compostos evaporam e espalham-se no ar.

A água servida nas ruas vai muito além de uma questão estética e de um ambiente agradável para quem transita pela cidade, pois ela causa prejuízos. Segundo o engenheiro de obras e superintendente da Secretaria de Infraestrutura, Roberto Lemos, a água escorrendo dia após dia, durante semanas e meses destrói o asfalto.

“O escoamento de águas residuais nas vias danifica os pavimentos por conta da infiltração constante da água, e com a quantidade de produtos químicos diminui sua vida útil, proporcionando o surgimento de trincas e buracos o que pode causar acidentes a motoristas e pedestres”, aponta.

“Outro problema é que muitas vezes essas águas são despejadas nas vias logo após a execução da pavimentação, o que torna o local frágil e consequentemente se perde todo o serviço, gerando custos para o município, um dinheiro que poderia ser investido em outras áreas”, pontuou o superintendente de Obras da Seinfra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui