Senador Vanderlan tem reunião virtual com ministra da Agricultura

Em videoconferência com representantes do setor de biocombustível e processamento de soja, senador tratou da aceleração de exportações

O risco de desabastecimento em virtude das exportações aceleradas de soja, carne e milho, a produção do bioquerosene e do biodiesel e esmagamento de soja, foram alguns dos temas tratados em videoconferência do senador Vanderlan Cardoso com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. A reunião virtual foi agendada pelo senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO), a pedido do setor. A videoconferência contou com a participação de Erasmo Carlos Bastistella e Alberto Borges, presidente e diretor do conselho da Associação dos Produtores de Biocombustíveis no Brasil (Aprobio), Juan Diego Ferres, Irineu Boff, Donizeth Tokarsdi,  presidente, conselheiro e diretor superintendente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio).

O senador expôs sua preocupação com o aumento de exportações da soja e seus reflexos na cadeia alimentar dos brasileiros. É que a cadeia de proteína e de outros alimentos dependem do farelo de soja e milho para a produção de aves e suínos. Se o produto é todo exportado, o preço do produto-final sobe. Um exemplo é o frango, muito consumido pelo brasileiro. O senador explicou que, respectivamente, o farelo de soja compõe 25% e 22% da ração para estes animais. “Saltamos de 31% em março para 73% de exportações de soja em abril”, enumerou Vanderlan.

Durante a apresentação de demandas do setor, o diretor do conselho de Administração da Associação dos Produtores de Biocombustíveis no Brasil (Aprobio), Alberto Borges de Souza fez uma apresentação para a ministra e falou do cenário preocupante e do risco de faltar soja para o mercado interno no segundo semestre. O presidente do Conselho Superior da União Brasileira de Biodisel e Bioquerosene, Juan Diego Ferres também destacou a preocupação com abastecimento de grãos e alertou para a situação nos Estados Unidos, onde produtores da área de pecuária estão sendo obrigados a sacrificarem animais por falta de ração. Outra demanda apresentada à ministra foi a emissão da medida provisória para o Renova Bio, para reduzir a carga tributária para o setor. “Fortalecendo o setor do biodiesel, fortalece todo o setor produtivo”, defendeu Irineu Boff.

Foram apresentadas sugestões à ministra como forma de amenizar os impactos da aceleração de exportações: aplicar a Escalada Tributária para soja, farelo e óleo gerando equilíbrio na competitividade das exportações brasileiras com outros países, incentivando a comercialização de produtos de maior valor agregado. Outra proposta seria desonerar, a exemplo das exportações de soja em grãos, a contribuição social de 1,5% do produtor rural pessoa física, nas exportações de farelo, óleo e biodiesel.

A ministra Tereza Cristina disse que considera legítimas todas a proposições, mas argumentou que é temerosa qualquer intervenção no mercado. Ela garantiu que não haverá falta de soja. “Temos acompanhado de muito perto essa questão. Não foi só a soja, mas todos os produtos exportados ficaram muito competitivos”, justificou. A ministra se comprometeu em estudar uma solução a médio e longo prazo e achar os “furos” na cadeia. Ela colocou o Mapa à disposição e pediu sua equipe para estudar uma solução conjunta, mas “com calma”. “Contem conosco. Se trabalharmos duro, poderemos achar essas soluções a curto prazo”, ponderou.

O senador Vanderlan Cardoso, que já havia abordado esse tema na primeira sessão virtual do Senado, no dia 20 de março, ficou satisfeito com a disposição da ministra em buscar soluções conjuntas. Na época, o senador fez um alerta para o risco de desabastecimento do mercado interno por causa do excesso de exportação de commodities. “Eu acredito muito na competência da ministra. Já vamos marcar o próximo encontro com a equipe do ministério para tomarmos essas medidas de socorro”, anunciou o senador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui